A história da BMW

Ao contrário do que poderá parecer a história da BMW começa não nas estradas mas nas nuvens.

A Bayerische Flugzeug-Werke (BFW – Fábrica Aeronáutica da Baviera) é fundada a 7 de Março de 1916 e a Otto-Werke (a fábrica de motores) funde-se na nova companhia. A Bayerische Motoren Werke (BMW – Fábrica de Motores da Baviera) adquire a fábrica da BFW em 1922. A BMW adopta a data de fundação da BFW e dá inicio a uma história de sucesso.

A primeira moto BMW, a R 32, cujo design se iniciou em 1922, causa sensação na sua estreia na Feira Automóvel de Berlim de 1923. Para obter melhor arrefecimento pelo ar, o Chief designer Max Friz montou o motor boxer lateralmente no quadro, transmitindo a potência directamente à roda através de um veio de transmissão – um princípio de construção utilizado ainda hoje nas motos BMW.

No ano seguinte o chefe de desenvolvimento, Rudolf Schleicher, desenvolve uma versão esportiva do motor R32 e o instala na motocicleta modelo R37, com a qual Franz Bieber conquista para a BMW o campeonato alemão de velocidade.

Nos anos seguintes a BMW desenvolve modelos revolucionários como a R39, apresentada em 1925, a primeira monocilíndrica da marca com motor de 250cc e 6,5hp; a BMW R62, em 1928, com motor de 750cc, permanecendo como a moto de maior cilindrada da marca até 1973; a R12, introduzida em 1935, primeira moto equipada com suspensão dianteira telescópica; e a R51, equipada com suspensão traseira com pino oscilante em 1938.

Com a Segunda Guerra Mundial surge a R75 militar, equipada com side-car e tração tanto na motocicleta como no side-car.

Em 1944, os ataques aéreos deixaram praticamente destruída a fábrica da BMW em Munique, embora a fábrica de Allach tenha sobrevivido quase intacta. Em meados de 1945, a BMW é autorizada a reparar os veículos militares americanos em Allach, podendo fabricar peças suplentes para estes veículos, bem como alfaias agrícolas e bicicletas.
A companhia recupera também a sua licença para construir motocicletas, embora não estivesse em posição de poder reiniciar a produção nessa altura.

Em 1948, um pequeno grupo de funcionários conseguiu começar a montar novamente as motocicletas utilizando peças que sobraram dos modelos militares, iniciando a produção com o modelo R24 de 250cc.

Em 1951 é lançada a R 51/3, primeira moto com motor boxer do pós-guerra, que possuía um novo desenho e nova tecnologia. Este modelo ficou conhecido como “a indestrutível”, tamanha era a resistência e qualidade das peças empregadas na sua fabricação.

A fábrica de motos foi transferida de Munique para Berlim, em 1970, aproveitando incentivos do Governo alemão necessários para produzir uma moto mais economica que pudesse competir com as japonesas.

Foi introduzido então o modelo 5, seguido, em 1973, do modelo 6, e modelos de maior cilindrada (900cc), como a R90/6 e a desportiva R90 S. Pela primeira vez uma moto BMW de série ultrapassa a marca dos 200km/h.

Era a resposta alemã ao sucesso da CB750 da Honda. A BMW introduz em 1976 o modelo 7 incluindo a R100RS de 1000cc, a primeira moto de série no mundo com carenagem integral. O sucesso da carenagem foi tão grande que imediatamente os proprietários dos modelos anteriores actualizaram suas motocicletas incorporando a carenagem da R100RS.

Em 1981, a divisão de motos para competições, conhecida como BMW Motorrad, através do francês Hubert Auriol vence aquela que é provavelmente a mais dura prova de resistência motorizada – o rally Paris-Dakar, numa BMW R 80 G / S.

A moto tinha apenas uma ligeira modificação face ao modelo de produção, atingindo 57 cavalos em lugar dos normais 50. Auriol volta a ganhar em 1983. Em 1984 e 1985, um outro ‘motard’ BMW, o belga Gaston Rahier, antigo campeão mundial de MotoCross, arrebata este prestigiado troféu.

A marca também fazia sucesso no Rally dos Faraós e no Baja Califórnia. Em 1987 encerrou-se a participação da BMW como equipe oficial. Mesmo assim, a marca continuou obtendo destaque com pilotos que utilizavam as motocicletas da marca. Eddy Hau, por exemplo, venceu a categoria Marathon do Paris-Dakar em 1988 e Jutta Kleinschmidt, em 1992, tornando-se a primeira mulher a correr a prova. Após dez anos de afastamento, a BMW voltou a se envolver com o Paris-Dakar em 1998. No ano seguinte, o francês Richard Sainct venceu a competição. Em 2000, ganhou os quatro primeiros lugares, com Sainct em primeiro seguido por Oscar Gallardo e Jimmy Lewis. Em 2001, a BMW mudou o foco e começou a organizar suaprópria competição, batizada de Boxer Cup.

Agora, com o aparecimento da nova S1000RR a BMW inicia uma nova fase da sua carreira desportiva em duas rodas!

Esperemos para ver como o desempenho delas vai escrever as próximas páginas da história desta marca lendária!

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s