Honda Silver Wing T400


Há diversas formas de se desfrutar as duas rodas! Quem pretende alta mobilidade urbana, estilo, capacidade de bagagem e performance suficiente para não morrer de tédio a caminho de casa se porventura encontrar estrada livre, ou até aventurar-se num passeio pelo nosso belo país, tem nesta maxi-scooter uma séria opção!

Linhas elegantes e limpas, são efectivamente as responsáveis pelo estilo esguio e simples, mas refinado, desta renovada Silver Wing.

Desempenho

O estandarte da Silver Wing T400 é o motor de 399 cc a quatro tempos com dois cilindros paralelos, arrefecido a água, equipado com 8 válvulas e veio de excêntricos à cabeça, único na sua classe, e que lhe proporciona enormes mais valias em termos de suavidade e consistência da resposta. Este bicilíndrico dispõe ainda de um duplo veio de equilíbrio para diminuição das vibrações, uma vantagem que se nota sobretudo em percursos mais extensos. A debitar uma potência superior a 38 cv às 8000 rpm, e dono de um binário respeitável tendo em conta a cilindrada, apenas o peso total do conjunto impede este motor de mostrar ainda melhor desempenho em termos de prestações dinâmicas. Este motor, uma variação daquele que equipa a sua irmã mais crescida de 600 cc. é muito compacto e está colocado muito em baixo, contribuindo para um aumento da estabilidade em curva e em manobra, já que os quase 250 kg de peso pouco se insinuam. O relativamente baixo consumo, consequência da injecção electrónica PGM-FI, e da ignição também digital com avanço electrónico, aliado à capacidade do depósito de 16 litros, permite uma autonomia de até 350 km, uma mais valia para uma máquina que, além de perfeitamente habilitada, se pretende capaz de utilizações em trajectos mais longos ou até pequenas viagens.

As emissões de escape deste motor são mesmo muito baixas. Além do reduzido consumo de combustível, o enorme silenciador do escape está dotado de um catalizador que, combinado com o sistema de injecção de combustível, mantém as emissões de gases causadores do efeito de estufa num nível inferior ao exigido pela norma EURO-3.A transmissão por correia V-Matic proporciona uma grande suavidade no arranque e nas retomas, e que, aliada à grande disponibilidade do motor, contribui para uma eficaz resposta às solicitações do punho direito.

Na ciclística, esta nova Silver Wing T400 foi alvo de revisões, sobretudo no que respeita ao quadro, onde foram reforç adas todas as ligações com os restantes elementos, no intuito de aumentar a rigidez estrutural e reduzir o nível de vibrações. Ainda assim, curvar em andamento rápido requer alguma habituação, pois persiste a tendência para a ondulação a alta velocidade, provavelmente devida à grande distância entre eixos (1,6 m) e ao elevado peso do conjunto. A forquilha dianteira, com um curso de 120 mm cumpre bem o seu papel, filtrando eficazmente as irregularidades e proporcionando conforto, enquanto que os amortecedores traseiros, com 5 diferentes regulações de pré-carga também estão à altura das solicitações. Os travões também foram revistos, dispondo agora, na frente, de um disco de 276 mm de diâmetro mordido por uma pinça de três pistões típica do sistema Dual CBS, e, na traseira, de um disco de 240 mm mordido por uma pinça de dois pistões.

Conforto e comodidade

Toda a Silver Wing T400 foi pensada para agradar aos mais exigentes. Oferecendo uma posição de condução irrepreensível, mesmo para os condutores de maior estatura, nem falta um pequeno apoio lombar para o condutor e passageiro, fixo no próprio banco. O passageiro também é contemplado com uma posição  elevada, que proporciona um excelente panorâmica, e um assento muito confortável. O ecrã elevado proporciona uma boa protecção aerodinâmica. Debaixo do banco, encontramos um porta-bagagem generoso e iluminado, capaz de albergar dois capacetes integrais. Pena que a sua fechadura não esteja integrada no canhão de ignição tal como a maioria das suas concorrentes. Aqui, no âmbito das fechaduras, temos que também fazer um reparo ao tampão de gasolina que é destacável e nem sequer dispõe de um local específico para ser colocado enquanto se abastece, sendo necessário deixar a chave nele acoplada. O painel de instrumentos, onde predomina a informação em forma analógica, é bastante completo e de fácil leitura, proporcionando a informação necessária para uma condução relaxada. Destaca-se o pequeno display digital, com o relógio, os totalizadores de quilómetros e o consumo médio de combustível. No painel ainda existe, do lado esquerdo, um pequeno compartimento protegido por fechadura, onde se pode facilmente guardar a carteira, os óculos e os títulos de portagem. Conforme as demais criações da marca da asa dourada, a Silver Wing T400 também está equipada com o sistema HISS exclusivo da Honda, que desincentiva o roubo. A linha de acessórios originais Honda apresenta alguns “mimos” cheios de estilo e que podem ainda melhorar as condições de viagem.

Na práctica:

A Silver Wing T400 levou-nos a Faro! Com passageiro e bagagem para três dias, lá foi ela rumo ao Sul, com destino à mítica concentração, garantindo sempre um elevado conforto quer em andamento – quando proporciona grande comodidade, espaço e protecção aerodinâmica, tudo isto com um consumo reduzido de combustível – quer parada, ao albergar os capacetes e a guardar os “recuerdos” que sempre nos vão atafulhando os bolsos e as mochilas, e sem necessidade de ser artilhada com inestéticas malas ou “Top Case”.

Publicado na edição nº da Revista MOTOCICLISMO

Foto: João Carlos Oliveira / MOTORPRESS

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s